Cocada na kenga e águas mornas

O coco é tudo na economia da cidade de Lucena, situada ao norte de João Pessoa. Com economia baseada na plantação e processamento de coco e um litoral muito apreciado pelo sossego e águas mornas,  Lucena tornou-se bem conhecida por oferecer boa hospedagem em suas pousadas e resorts, pela beleza arquitetônica do Santuário Nossa Senhora da Guia e, mais ainda, pelos doces que levam o coco como principal ingrediente.

Pescadores nas águas mornas de Lucena, litoral Norte da Paraíba (Brasil). Click: Giovani Santos

Cocada na quenga

O que se tornou atração gastronômica de Lucena é a “Cocada na kenga”, iniciativa da Associação Mãos que se Ajudam, coordenada por Cleide Campoi e Mauriceia Barbosa de Aguiar. A iguaria une muito coco ralado, pouco açúcar e a casca dura do coco, conhecida como “quenga”, preparada e limpa de forma artesanal.

As deliciosas cocadas do Tony, em Lucena (PB / Brasil). Click: Giovani Santos

Com apoio do governo federal, a entidade de utilidade pública obteve equipamentos, o município cedeu terreno e a sede inaugurada em 2010 abriga ampla cozinha industrial e salas para atividades recreativas. Forneceu 700 cocadas artesanais e 700 caixas de água de coco para as Olimpíadas #Rio2016 .

Cocada com frutas e brigadeiro de açaí

Antonio Cesar da Silva Junior faz cocada na quenga há três anos, com sabores de frutas – abacaxi, abacate, acerola, caju, goiaba, mamão, manga, jaca, maracujá, coco queimado e a branca tradicional. As marcas “Cocada de frutas do Tony” e “Cocada na kenga” se firmaram e foram registradas com apoio do Sebrae, chegaram a eventos em outros estados.

Já o “Brigadeiro de açaí” é a especialidade da bela Tereza Florêncio. O doce leva até três horas no fogo para chegar à consistência ideal, feito com pouco açúcar e muito sabor da fruta.

Além das praias, outro orgulho dos 12 mil habitantes de Lucena (censo de 2012) são as acomodações oferecidas, como resorts Beach Park, Victory, Gaivotas e dez aconchegantes pousadas, dentre as quais a Lazer do Sol e a Barcaça Ecológica.

Camarões nas redes dos pescadores de Lucena (PB / Brasil). Click: Giovani Santos

Santuário da Guia

Em estilo barroco, a Igreja de Nossa Senhora da Guia reúne esculturas e desenhos surpreendentes, que vão de frutas tropicais na parte frontal, cetros, armas da Coroa Portuguesa, até caveiras que, segundo os guias de turismo, tiveram a finalidade de espantar o medo da morte. Situada num ponto estratégico da cidade, de onde se pode avistar o mar e a foz do rio Paraíba, sedia anualmente a Festa da Guia.

Serviço: O acesso a Lucena é feito pela rodovia BR 230 (Transamazônica), próximo à cidade portuária de Cabedelo, de onde partem ferry boats a cada 30 minutos e a travessia leva cerca de 20 minutos.

Balsa faz a travessia entre Cabedelo e a bucólica Lucena (PB / Brasil). Click: Giovani Santos

O acesso em área urbana é pouco sinalizado, por meio de rua mal conservada e com paralelepípedos. O serviço de balsas existe há 12 anos (antes o acesso era feito apenas pela rodovia BR 101).

A travessia custa R$14,10 para carro, sendo cobrado mais R$1,35 por passageiro  (2017).

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *