Gastronomia, vinhos e azeites de Mendoza

Uma cidade bem planejada, com ruas arborizadas por plátanos e álamos que contribuem para amenizar o calor nos dias de primavera e verão e ainda reduzir a evaporação da água numa região de clima árido, com transporte eficiente e moradores educados. Assim é Mendoza, cidade onde o comércio abre entre 9 e 13 horas e, depois, entre 17 e 21 horas, com poucas exceções, como restaurantes. O intervalo é dedicado às refeições e à sesta. 

Um convite a experimentar as delícias regionais no Rincón de Comidas do Mercado Central de Mendoza, Argentina. Click: Giovani Santos

Chegamos a Mendoza, capital da província argentina de mesmo nome, na noite de domingo, 25 de novembro, e três dias foram insuficientes para conhecer a cidade e seus atrativos. 

Uma das belas avenidas arborizadas da cidade de Mendoza, capital da província de mesmo nome (AR). Click: Giovani Santos

Além de uma gastronomia que desperta o paladar devido ao preparo de carnes e pescados, conhecer as etapas de cultivo e industrialização e seus vinhos e azeites é obrigatório ao visitante. 

Envase de azeites na Pasrai, situada na cidade de Maipú, região metropolitana de Mendoza. Click: Giovani Santos

Estivemos em três bodegas e uma indústria de azeite em Maipú, departamento localizado na região metropolitana de Mendoza, que tem nos  seus imensos vinhedos e olivais sua força econômica. 

Bodega Florio, empresa familiar de 1912, localizada na região de Mendoza. Click: Giovani Santos

Olivares e azeites

No primeiro dia em Mendoza, uma segunda-feira, fizemos uma visita guiada à indústria processadora de azeite de oliva Pasrai e às bodegas Florio e Vistandes. 

Características de vinhos são apresentadas momentos antes da degustação. Click: Giovani Santos

De maio a julho, a indústria familiar de azeites Pasrai extrai das azeitonas provenientes de olivais da região três tipos de azeite de oliva: extra-virgem, virgem e apenas azeite de oliva. É preciso de oito a dez quilos de azeitonas para se produzir um litro de azeite, que pode ser varietal ou blend (quando se mistura variedades diversas do fruto). E durante as visitas, são oferecidos azeites para degustação com sabor agregado de alho, orégano, limão, manjericão e outros. Um convite delicado ao paladar. 

Toneis de aço fermentam os vinhos – tintos ficam 15 dias e brancos, 10 dias – antes de serem transferidos a toneis de carvalho. Click: Giovani Santos

Bodegas

Conhecer uma vinícola na região de Mendoza é uma visita considerada obrigatória. A bodega Florio é uma pequena vinícola familiar fundada em 1912 por Antonio Florio. Assim como nas demais bodegas, no período da colheita, de fevereiro a março, chegam uvas escuras e brancas para a produção dos vinhos.

Toneis de carvalho e alguns rótulos de destaque na bodega Vistandes. Click: Giovani Santos

A bodega Vistantes (nome que se refere à bela vista dos Andes) é especializada em vinhos finos e conquistou medalhas de ouro, prata e bronze. É rodeada de videiras, entremeadas por roseiras perfumadas que têm a função de atrair insetos prejudiciais às uvas. 

Rosas protegem os vinhedos do ataque de insetos e garantem a qualidade das uvas. Click: Giovani Santos

Serviço: Micro-ônibus e vans partem diariamente da cidade de Mendoza para visitas guiadas a bodegas e azeiteiras da região. Os pacotes são oferecidos por dezenas de agências de turismo localizadas no centro da capital e nos próprios hotéis e seus preços variam de acordo com a quantidade e tipo de locais visitados.

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *